Tempo | por Deborah Dornellas

#FlautaVertebrada sobre os dias que guardam noites de insônia e febres; que faz acordar, levantar, andar, olhar; e como um ciclo que se encerra, morrerá entre flores

Imagem: Kerim Oksuz
por Deborah Dornellas

I

Contribua com O Partisano - Catarse dO Partisano

casa antiga: moscas larvas vermes mofo

um véu delgado sobre as coisas

frutas secas doces

muito mais doces porque secas

sementes que não germinam 

e apodrecem novas

dias que guardam noites de insônia e febres

galos remotos e sinos repicam as horas

 II

acorda levanta anda olha 
lava come veste sai entra volta senta assiste come dorme acorda boceja levanta anda despe lava enxuga veste come

anda anda anda xinga volta come sonha chora dorme acorda lembra esquece 

envelhece

 III 

nasceu entre fluidos
vive entre flechas
morrerá entre flores

Contribua com O Partisano - Catarse dO Partisano

Deborah Dornellas, carioca criada em Brasília, vive em São Paulo desde 2011. É escritora, jornalista, tradutora e aprendiz de artista plástica. Por cima do mar (Patuá, 2018), seu romance de estreia, venceu o Prêmio Literário Casa de las Américas 2019, na categoria “Literatura Brasileira”.

Deixe uma resposta