O homem é seu medo

Nuvem de gafanhotos e Bolsonaro presidente, os dois a 100km, quem causa mais prejuízos ao país?

Imagem: reprodução
por Vinícius Carvalho

Esta semana precisei ir ao Centro de Florianópolis. Parei num café a céu aberto e vi uma pessoa engravatada, que pelo diálogo aparentava ser advogado, conversando com um senhor de aparência humilde, que ele tratava como “seu” funcionário.

Contribua com O Partisano - Catarse dO Partisano

O nível do bate papo, em tom professoral e afobado do “advogado” era de completo terrorismo político, efeito da surra que o Lula havia aplicado em todos os opositores no Datafolha desta semana. O desespero era evidente. “Caso o Lula não seja preso novamente ou assassinado, ele venceria em 2022”, “o Brasil vai falir e provavelmente precisarei demitir pessoas do meu escritório, até as do trabalho remoto”.

Ouvindo aquela sequência de absurdos fiquei pensando, de forma irônica, em quais pragas poderiam acontecer caso o Lula voltasse. Com muito esforço cheguei a algumas possibilidades para aturarmos estes “bodes na sala”:  Huck, Dória, Mandetta, Amoedo e Bolsonaro novamente.

Leia também:  Alvim, os demônios e o diabo em pessoa

A primeira possibilidade que vislumbrei é que se o Lula vencesse, haveria um novo dilúvio no Brasil, ficaríamos submersos em vários metros de água, igual já acontece em várias cidades do país durante as chuvas de verão, e muitos bairros desassistidos aqui de Florianópolis. Então essa é uma ameaça considerável.

A segunda possibilidade, seria uma tempestade de areia durante anos, igual uma que assolou o meio-oeste norte-americano no século passado e só não matou mais gente de fome que o Fernando Henrique Cardoso/PSDB nos seus 8 anos de governo. Portanto, é algo a se considerar.

Leia também:  Expiração | por Deborah Dornellas

Outra hecatombe que poderia ocorrer seria uma praga de gafanhotos, nuvens com centenas de quilômetros de extensão que, se aliados aos mais de 5.000 prefeitos, 60.000 vereadores e o centenas de milhares concursados ociosos, quando não bandidos, no judiciário, PF e etc., roeriam o que sobrou do Brasil. Portanto, dá medo.

Cheguei a matutar a possibilidade de que graças ao Lula, seríamos arrasados por um vírus mortal, daqueles que vão paralisando os seres humanos, provocando sua inatividade progressiva e por último os mata de inanição. Algo assim como a Lava-Jato fez com as maiores empresas do Brasil, e consequentemente sua economia e empregos. Portanto, o terror é real.

Contribua com O Partisano - Catarse dO Partisano

Por último, pensei que caso o Lula fosse presidente, o mundo fosse acometido por uma pandemia real. Uma doença respiratória que mataria meio-milhão de brasileiros em um ano. Nós estaríamos vivendo na pior condução pandêmica do planeta, vendo a vacinação ser sabotada a todo custo, a aposta do empobrecimento total da população, bem como a promoção um genocídio por Omissão Comissiva, mais ou menos como ocorre com o Jair Bolsonaro. Portanto, cabe ficar ressabiado mesmo.

Deixe uma resposta