Como lavar a louça | por Andri Carvão

#FlautaVertebrada: nas pequenas tarefas cotidianas, o método para a renovação contínua da vida, porque “casa com pia limpa é outra coisa”

Imagem: reprodução
por Andri Carvão

Para Helena Arruda

Contribua com O Partisano - Catarse dO Partisano

Pia cheia até a tampa.
Antes de tudo e de mais nada pare e respire. Inspire… Expire…
Agora bora botar a mão na massa.
Massa de tomate, casca de mexerica,
restos de comida…
Junta tudo e joga tudo no lixo.
Então é só organizar a bagunça:
recolhe os talheres todos
– facas, garfos, colheres, escumadeiras –
e bota dentro de um recipiente com água pra amolecer a sujeira, empilha os pratos, separa os copos na linha de frente como os peões do jogo de xadrez e põe panela pequena dentro de panela grande – essas eu sempre deixo pro final porque haja saco!
E aí eu já tô no pique apesar de exausto e lavo que lavo na força do ódio.
Ensaboa os copos todos, enxágua e bota no escorredor.
Ensaboa os pratos todos, enxágua e bota no escorredor.
Ensaboa os talheres todos, enxágua e bota no escorredor.
Epifania! Gran finale”:
areia a panela até ficar brilhando,
areia a panela até ficar um brinco,
areia a panela até ficar um espelho.
Casa com pia limpa é outra coisa.
Pronta pra encher de novo.

Contribua com O Partisano - Catarse dO Partisano

Andri Carvão cursou artes plásticas na Escola de Arte Fego Camargo em Taubaté, na Fundação das Artes de São Caetano do Sul e na EPA – Escola Panamericana de Arte [SP]. Graduando em Letras pela Universidade de São Paulo, o autor tem diversas publicações online e antologias. Um Sol Para Cada Montanha [Chiado Books, 2018] e Poemas do Golpe [editora Patuá, 2019] são as suas mais recentes publicações.

Deixe uma resposta