A escassez maior ainda é de amor | por Fernanda Noal

#FlautaVertebrada: contra a indiferença das estatísticas, o amor é escasso e a busca pelo ser humano um desafio, na recusa de que uma moeda valha mais que a vida

Imagem: Peacefoo
por Fernanda Noal

de todas as palavras ditas
e silêncios ecoados
de todos os algozes aplaudidos
e mártires apedrejados
de todos os vazios
preenchidos com mais vazio
de tantas faltas
a escassez maior
ainda é de amor

de tantos medos ilusórios
tentando nos defender de monstros
que na verdade habitam o próprio espelho
não me curvo nem me abstenho
da liberdade de pensamento
nem das lágrimas de amor empático
e frustração por de nada adiantarem de fato

essa água que escorre diretamente da alma
deságua em lama
cansada de ver
o sangue escorrer
e uma moeda valer
mais que a vida
de um ser

de tanta história interrompida por ódio
transformando a vida em estatística
o monstro no espelho
sorri satisfeito

porque o maior desafio ainda é
encontrar um ser humano inteiro.

Fernanda Noal é gaúcha e mora atualmente no interior paulista, em São Carlos. É artesã de linhas metafóricas e literais. Participou pelo Projeto Passo Fundo das Coletâneas de Contos de 2013 e 2017, e das Coletâneas de Poemas de 2013, 2015 e 2017.

Um comentário

Deixe uma resposta