China será o país dos sonhos pós-pandemia?

China mostrou estar mais preparada para enfrentar uma epidemia do que as chamadas democracias ocidentais

Imagem: Shutterstock
por Alexandre Flach 

Até bem pouco tempo atrás, se alguém pudesse escolher qualquer país do mundo para trabalhar, estudar e cuidar da vida, a grande maioria se mandaria para algum país desenvolvido da Europa ou América do Norte. Os Estados Unidos seguramente estariam entre os mais cobiçados. Grandes oportunidades para todos, a terra prometida da liberdade e da prosperidade, lugar onde o capitalismo teria provado que deu certo, gerando uma sociedade próspera e rica.

Contribua com O Partisano - Catarse dO Partisano

A China foi pega de surpresa com a pandemia do COVID-19, com a tarefa de proteger a maior população do planeta. Cidades enormes habitadas por milhões de pessoas, e pouco tempo para conhecer a gravidade da pandemia. Ainda assim, o gigante asiático ostenta vários dias sem uma única morte pela doença, e do 1 bilhão e meio de habitantes, perdeu pouco mais de quatro mil vidas neste processo.

Já o país do american way of life mostrou ao mundo que não um Estado para proteger o seu povo. O desastre norte-americano contabiliza mais de 70 mil mortos, e mesmo o governo Trump tendo acompanhado o desastre acontecer ao redor do mundo, presenciado o crescimento explosivo da doença na Itália, Espanha e outros países da Europa, as medidas não foram contundentes o suficiente para barrar o número de casos.

O COVID-19 nos EUA

O fracasso dos Estados Unidos foi tão grande que hoje coloca em dúvida a própria viabilidade das bases sociais do país, que parece terem se tornado obsoletas, perigosamente ineficientes para enfrentar os novos desafios do século XXI. O sistema chinês, ao contrário, surpreendeu o mundo por ser capaz de movimentar imensos recursos com enorme rapidez e eficiência, e em poucos dias conseguir produzir toda a estrutura de proteção necessária à sua população, não só para conter a contaminação, mas também para proteger economicamente as pessoas, que não perderam seus empregos e não viram suas empresas falirem, como certamente vai acontecer nos países capitalistas.

A China conseguiu produzir insumos de proteção contra o vírus para os mais diversos lugares do planeta, e hoje já se prepara para voltar à plena atividade econômica. O sucesso desse estranho regime chefiado por um Partido Comunista, em comparação com a tragédia ocorrida na mais rica nação capitalista do planeta, totalmente fracassada em proteger o próprio povo nesta situação de grande adversidade, foi tão gritante que não demorou para muita gente ficar com inveja do povo chinês.

As grandes empresas de comunicação do ocidente logo perceberam essa tendência, e não demorou para voltarmos a ver a China ser novamente qualificada como um regime “totalitário”, uma ditadura. Teve até quem chegou a dizer que o sucesso da China contra o vírus não conta, afinal, o povo lá “não tem liberdade”. Mas o fato é que as pessoas estão cada vez mais curiosas para entender melhor a China. Como é viver na China? Como eles conseguiram construir um país de prosperidade cada vez maior e tão diferente dos Estados Unidos? Enfim, qual é o segredo da China.

Especial China

Com toda essa guerra não declarada que existe entre a China e os grandes países capitalistas, é necessário um verdadeiro garimpo de informações para se conseguir formar uma ideia mais realista sobre o que acontece na China hoje. O modelo chinês contraria tudo o que os governos capitalistas, a grande imprensa e os grandes empresários do mundo inteiro querem que o povo acredite.

Lá o mercado é totalmente regulado pelo Estado, as empresas estatais são imensas, o sistema financeiro é dirigido diretamente pelos bancos estatais e o partido que domina toda a política é um Partido Comunista. Não é difícil perceber que a primeira tarefa para quem quiser convencer qualquer um de que é o capitalismo que “deu certo”, será esconder a realidade da China.

Contribua com O Partisano - Catarse dO Partisano

Por isso, tivemos que levantar a cortina de fumaça da imprensa em geral, e procurar fontes o mais possível imparciais, dentro dessa verdadeira guerra de interesses que existe entre esses dois sistemas econômicos opostos. Deste verdadeiro trabalho de detetive nasceu o “Especial China”, que continua aqui no Partisano nas próximas semanas. 

2 comentários

  1. China mostra que as “Sociais Democracias de Esquerdas” são a melhor opção para gestão pública, China parabéns pelo desempenho nas gestões a quase 30 anos com crescimento acima dos 6%a,a, acorda povo brasileiro.

Deixe uma resposta