Dia 2 é dia de tomar as ruas contra Bolsonaro

A gestão genocida da pandemia, a inflação, o desemprego e as afinidades de extrema-direita do governo demandam uma resposta nas ruas

Imagem: Vitor Zaupa / Aurora Socialista
por Luca Uras

Não é muito difícil incitar o ódio de classe no Brasil de Bolsonaro. Entre o aumento gritante da fome, do desemprego e da população de rua, empresas de plano de saúde realizando experimentos nazistas com seus pacientes com o aval do governo e até empresário vendendo a própria mãe, nosso governo está expondo um lado do capitalismo neoliberal bem grotesco. Não é como se ele não estivesse sempre lá, agindo nas periferias da sociedade civil, “comendo pelas beiradas”, mas agora, do mais rico ao mais pobre, podemos todos ver com nossos próprios olhos.

Contribua com O Partisano - Catarse dO Partisano

Também volta a subir a média móvel de mortes por Covid-19, o que significa que logo chegaremos aos 600 mil mortos. 600.000 vidas brasileiras perdidas por ideologia, por propina, por descaso, porque o capital mandou assim. Tudo tem limite, e a paciência dos brasileiros, se já não chegou nele, está bem próxima. Por todos os que se foram e que ainda podem partir até o fim desse pesadelo, devemos continuar a pressão popular pelo impeachment de Bolsonaro.

Leia também:  O apartheid da vacina sob a ordem capitalista

O governo, no atual momento, se encontra cercado por todos os lados. O ensaio de golpe fascista do dia 7 de setembro não deslanchou, a CPI da Pandemia revela novos crimes a todo momento, a burguesia nacional busca desesperadamente um nome para a terceira via. A estrutura de Bolsonaro rui sob seus pés, mas sua aparente fraqueza não deve ser tomada como uma vitória (ainda). É só quando um animal é acuado que ele fica realmente perigoso. Só poderemos garantir nossa vitória se mantivermos a pressão popular. Precisamos fechar o cerco!

Leia também:  O PT está vivo e ainda estamos do lado certo da história

Sendo assim, toda a esquerda deve compor os atos de 2 de outubro. É quase 1 mês desde o último protesto nacional contra o governo, o infeliz 7 de setembro, e mais de 2 meses desde a última grande mobilização da esquerda contra o genocida. Basta! Basta do genocídio! Basta da fome! Basta da carestia! Basta de Bolsonaro e Mourão!

Sábado, dia 2, é dia do povo na rua contra Bolsonaro! É dia de mostrar que o povo não aguenta mais ser tratado como bicho! É dia de mostrar a quem realmente pertence o país! Dia de mostrar que os canalhas, do governo, da Prevent Senior, ou de onde quer que sejam, não estão acima da lei e não podem, de forma alguma, fazer o que bem entenderem! O Brasil não é playground de ninguém! Muito menos circo!

Leia também:  Ano letivo se recupera, vidas não

Rumo ao impeachment!

Rumo à greve geral!

Pela defesa da democracia e dos direitos constitucionais tão dificilmente conquistados!

Contribua com O Partisano - Catarse dO Partisano

Fora Bolsonaro! Fora Mourão! Fora Guedes!

Deixe uma resposta