Carlos Mesa reconhece vitória do MAS nas eleições bolivianas

Há um ano, o não reconhecimento de Mesa do resultado eleitoral foi o que iniciou o movimento golpista que acabaria derrubando Evo Morales

Imagem: Reprodução
por William Dunne

Carlos Mesa, candidato derrotado nas eleições de ontem na Bolívia, acaba de reconhecer em uma coletiva de imprensa o resultado da votação. Embora ainda não tenham sido anunciados os resultados oficiais, Mesa afirmou que “a diferença é muito ampla” para que o resultado seja muito diferente na contagem final. “É um resultado que aceitamos, que consideramos que, dada a distância entre o primeiro e o segundo, não vai se modificar com os resultados oficiais do Tribunal Supremo Eleitoral”.

Contribua com O Partisano - Catarse dO Partisano

Há um ano, Evo Morales foi reeleito para um novo mandato presidencial. Foi justamente Carlos Mesa, derrotado também naquela oportunidade, que não reconheceu o resultado e acusou o governo de fraudar as eleições. Foi com base nisso que a direita colocou fascistas nas ruas para desestabilizar o país e precipitar o golpe que levou Evo Morales a fugir para o México.

Leia também:  Criatividade sem limites: os nomes excêntricos das eleições

Um ano depois, o partido de Evo Morales, Movimiento Al Socialismo (MAS), volta a derrotar a direita nas urnas, apesar de um ano de arbitrariedades e perseguição da direita, com um saldo de dezenas de mortos. No entanto, a expectativa de reverter o golpe de Estado com o resultado das eleições ainda precisa ser confirmada. Nada indica que a direita irá de fato aceitar o resultado, com a volta do MAS ao governo a direita deverá fazer de tudo para desestabilizar novamente a situação política do país.

Contribua com O Partisano - Catarse dO Partisano

De qualquer modo, o MAS deverá conseguir agora assumir o mandato que já tinha ganho há um ano. O reconhecimento de Carlos Mesa parece indicar que Luis Arce, vencedor das eleições com 53% dos votos, deverá assumir o cargo sem problemas. Mesa é de uma facção mais moderada e por enquanto predominante da burguesia boliviana, que é fragmentada e dividida geograficamente. A presidente autoproclamado Janine Añez também reconheceu o resultado, ainda na madrugada quando foi divulgado o resultado da pesquisa de boca de urna.

Um comentário

Deixe uma resposta