Repúblicas mínimas

Construir “microestados efêmeros” e ocupá-los por 24h: assim Rubén Martín de Lucas questiona a artificialidade das fronteiras e reforça nossa relação tensa com o Planeta Terra

Minimal Republic nº7, Area: 100 m2, Border: square, 10m side, of blue carpet arround a stack of straw bales, Population: 1 inhabitant Location: 40.7654770, -2.9947316, Start: October 6, 2016, 17:30, End: October 7, 2016, 17.29 © Rubén Martín de Lucas
por Sophie Wright para o Lens Culture, com tradução de Danilo Matoso

As paisagens geométricas de Rubén Martín de Lucas nascem de poucos gestos simples: apropriar-se de 100 metros quadrados de área, desenhar uma fronteira e habitar ali por não mais de 24h. De estacionamentos a plantações vazias, trechos comuns de terra são transformados por essas ações naquilo que o artista descreve como “microestados efêmeros”. Ali, naqueles territórios limpos e ordenados, com população de um só habitante solitário, torna-se patente o esforço humano para delinear e controlar o mundo natural.

Contribua com O Partisano - Catarse dO Partisano

As vistas aéreas em Repúblicas Mínimas, capturadas por um drone, resultam em fotografias impressionantes – mas Martín de Lucas não se autointitula um fotógrafo. Sua trajetória artística começou com projetos de arte de rua (ele também é cofundador do coletivo espanhol de arte urbana Boa Mistura, e ele prefere descrever a si mesmo como um pintor que por acaso também tem formação em Engenharia Civil e do Território. Com essa ampla e rica variedade de disciplinas e de conhecimento, Martín de Lucas tem desenvoltura na escolha do meio que melhor traduz as ideias que deseja discutir.

Minimal Republic nº3, Area: 100 m², Border: square, 10m side, defined with rope tied to pickaxes arround a square of crushed rye, Population: 1 inhabitant, Location: 41.298691º, -3.400101º , Start: July 30, 2015, 19:15 , End: July 31, 2015, 11:38 © Rubén Martín de Lucas

Uma questão recorrente é a relação tensa que temos com nosso planeta, e como encontrar meios de visualizá-la. “Eu estudo as relações que nos unem ao território. Quase sempre, essas relações consistem em dominação e controle” – lamenta. “A humanidade se colocou no topo de uma pirâmide, como se os demais seres – vivos e inanimados – estivessem a nosso serviço, ao invés de perceber que obviamente somos um nó numa dentro de uma rede de nós. Um sistema em que todos os nós e relacionamentos são importantes. Uma natureza da qual fazemos parte, e não uma natureza vista como um oposto, uma entidade distante, estranha e oposta – como normalmente a enxergamos.

Leia também:  Porta dos Fundos: da crítica da lacração à lacração da crítica

Repúblicas Mínimas é parte de seu primeiro projeto fora da pintura, Stupid Borders [Fronteiras Estúpidas]. Propondo-se a questionar a natureza artificial das fronteiras, e o conceito líquido de Estado-Nação, Martín de Lucas encontrou sua resposta numa mescla de abstração e absurdo. Buscando locações com poucos atrativos ou recursos, essas “repúblicas mínimas” são focos improváveis de uma nova nação, amplificando a carência de sentido do gesto de ocupação temporária de Martín de Lucas. “Eu uso a geometria porque é o critério mais frio e absurdo para definir uma fronteira, e uso o drone para elevar o ponto de vista”, explica o artista. “Quando o espectador se distancia e a vê de cima, vê também o absurdo dessas micronações e, consequentemente, a artificialidade de todas as fronteiras”.

Leia também:  Kalashnikov: do fuzil ao barril
Minimal Republic nº11, Area: 100m2, Border: square, 10m side, defined by sport cones, Population: 1 inhabitant, Location: 37.677718, -4.851217, Start: June 2th, 2018, 08:52, End: June 2th, 2018, 14:24 © Rubén Martín de Lucas

Cada microestado é normalmente exibido junto a um vídeo que mostra Martín de Lucas como um cidadão solitário de cada nação, realizando ações arbitrárias como patrulhar a fronteira, ler um livro ou fazer exercício. O efeito é quase farsesco, evidenciando a atitude ambígua que temos em relação ao mundo natural e reforçando o injustificado senso de posse que temos em relação ao nosso ambiente. “Acho que o humor funciona muito bem como um primeiro contato com o espectador” – diz. “Ele nos convida a ficar e observar”.

Além do humor, há ali também uma convocação séria a agir. “Penso que é urgente rever e reexaminar nossos relacionamentos com nosso ambiente, porque eles definem nosso comportamento como espécie. Não somos indivíduos isolados. Somos parte de uma rede complexa, uma natureza de que somos parte; somos todos nós e todas os relacionamentos são valiosos” – ressalta Martín de Lucas. “Vivemos hoje num planeta superpovoado por nossa espécie e não estamos nos saindo nada bem. Devemos ser críticos quanto a nossas ações. Vale dizer: 99,9% das outras espécies estariam melhores sem nós. E isso não diz muito em nosso favor.

Leia também:  Paulo Mendes da Rocha: um arquiteto que entendia do riscado
Minimal Republic nº6, Area: 100 m2, Border: discontinuous circle, radius 5.64m, of excavated earth, Population: 1 inhabitant, Location: 40.745341, -2.973881, Start: October 5, 2016, 09:41, End: October 5, 2016, 16:48 © Rubén Martín de Lucas
Minimal Republic nº5, Area: 100 m2, Border: square, 10m side, defined by signaling cones, Population: 1 inhabitant, Location: 40.760009, -3.011013, Start: September 24, 2016, 15:27, End: September 25, 2016, 00:18 © Rubén Martín de Lucas

 

2395b61d 9915 49cc 8988 7b8c10a62ba7

Minimal Republic nº2, Area: 100 m², Population: 1 inhabitant, Border: equilateral triangle, side 15.19 m made of wooden slats assembled, Location: 40.039637º, -5.1146942º, Start: July 23, 2015, 12:21, End: July 23, 2015, 21:48 © Rubén Martín de Lucas

Contribua com O Partisano - Catarse dO Partisano

61f9e288 1f39 49b3 8b03 83151690d1d5

Minimal Republic nº:1, Area: 100m2, Population: 1 people, Border: circle of 5.64m radios, groove excavated and filled with plaster, Location: 39.980853º, -3.902486º, Start: July 28, 2015, 09:02 a.m, End: July 29, 2015, 09:03 a.m © Rubén Martín de Lucas

A93806be 1941 4322 b03c 8e7588e8d281Minimal Republic nº8, Area: 100 m2, Border: circle of 5.64 m radius of stacked stubble, Population: 1 inhabitant, Location: 41.4152292, -3.3632866, Start: September 8, 2017, 18:41, End: September 9, 2017, 18:40 © Rubén Martín de Lucas

F7652d35 fffd 4a21 b39d 6f34c3786451
Minimal Republic nº12, Area: 100 m2, Border: circle, 5.64 m radius, delimited with stones in a beach area exposed at low tide, Population: 1 inhabitant, Location: 43.399488º, -4.358119º, Start: 7th January 2019, 09:18, End: 7th January 2019, 14:37 © Rubén Martín de Lucas

 

05a5edf5 bd8a 49d5 a0b5 3f2e3dc38ad2
Minimal Republic nº13, Area: 100 m², Border: Equilateral triangle, 15.19m side, fallen leaves collected and grouped, Population: 1 inhabitant, Location: 41.059889º, -3.940355º, Start: 19th december 2018, 11:34, End: 20th december 2018, 11:34 © Rubén Martín de Lucas

 

4e32bebd 10cc 4d3d 914b 6b1c27fadae2
Minimal Republic, Area: 100 m², Border: square, 10m side, made with pink carpet, Population: 1 inhabitant, Location: 43.629991º, -5.870575º, Start: 14th January 2019, 12:42, End: 15th January 2019, 12:41 © Rubén Martín de Lucas

Deixe uma resposta