Coroavírus: os idosos rebeldes anti-quarentena

Quem nunca chegou naquelas cidadezinhas do interior e se deparou com vários velhinhos dominando as praças? Pois é, quando se chega na terceira idade, não sobram muitos passatempos interessantes dentro de casa, que é justamente onde esses idosos terão de ficar por um bom tempo.

Foto: Shutterstock
por Beatriz Luna Buoso

Se tem um assunto que está rendendo na Internet nesta pandemia é a quarentena para a terceira idade e suas dificuldades. Eles que já vivem um momento de tantas mudanças físicas, aparecimento de doenças, perda de autonomia, agora enfrentam mais um desafio: ficar em casa! Três palavras que têm causado tanto stress e confusão nas famílias, já que está cada vez mais difícil manter os idosos isolados.

Contribua com O Partisano - Catarse dO Partisano

Os filhos, que no geral incentivam os pais idosos a buscarem atividades em grupo para ocupar a cabeça e também socializar, agora, devido à pandemia, muitas vezes são obrigados a dar um choque de realidade para que eles entendam a necessidade de ficar em casa. Fake news, trotes fingindo ser do INSS ameaçando cortar a aposentadoria, jogar na real o número de mortes, são vários os apelos para que os teimosos fiquem em casa, já que são grupo de risco da COVID-19.

O analista financeiro Raphael Fernandes, em entrevista para O Globo, conta que teve que radicalizar e apelar para a fake news para conseguir manter a avó dona Doroti, de 80 anos, em casa.

Segundo ele, a avó é muito ativa e tem uma agenda muito intensa, principalmente no carnaval. Moradora de São Gonçalo (Rio de Janeiro), independentemente das circunstâncias, mesmo quando há notícias de tiroteio na região ou chove, ela sempre sai de casa. Por esse motivo o neto teve que ser tão radical.

— Ela queria dar os parabéns a meu tio pelo aniversário dele. Pedimos que ela não saísse, mas ela respondeu que tinha um médico. Ligamos para o doutor e, de fato, ela tinha a consulta. Mas, à noite, quando telefonei para meu tio, escutei uma voz ao fundo. Quem estava lá? Ela — contou Fernandes.

— Quando ela atendeu o telefone, eu disse: ‘A senhora foi vista circulando por Alcântara’. Ela perguntou de onde eu era. Eu disse que do INSS e continuei: “esse é o último aviso. Caso desrespeite, a senhora será bloqueada no INSS e vai ficar seis meses sem receber”. Ela pediu pelo amor de Deus que não, porque tinha contas a pagar. Agora, não sai de casa de forma alguma. Não vamos falar a verdade, até essa onda passar — afirma o analista.

Idosos fujões!

Em época de pandemia, os rebeldes não são mais os jovens, e sim a turma do cabelo branco! Resistentes, continuam sendo maioria nas praças, filas de banco e mercado. Dando “olé” nos filhos, escapadinhas e enfrentando a família, a situação tem feito sucesso no YouTube, em um vídeo que reúne uma série de registros feitos pelos familiares e mostram as tentativas de fuga dos idosos, que já não aguentam mais ficar em casa e se arriscam para fugir.

O vídeo viralizou logo no começo da quarentena. Teve velho tentando abrir o portão com uma chave de fenda, enquanto outro tenta pular o portão. Uma senhora mais rebelde, mostrando o dedo do meio e xingando a família que impede sua saída. Uma outra chegou a ficar entalada tentando passar por debaixo do portão! Sim, temos que confessar que eles são criativos, corajosos e pelo visto não se importam com a pandemia!

As justificativas para as fugas são inúmeras: querem fazer as unhas (não tem problema, a moça limpa a cadeira!), jogar com os amigos (eu coloco uma luva antes de pegar o baralho), visitar uma prima (ela é limpinha), ou seja, a tarefa é árdua para os familiares, já que os mais velhos parecem não entender que estão mais suscetíveis a terem complicações por causa da COVID-19, por conta da idade e também pelo fato de a maioria possuir doenças pré-existentes.

Memes

O noticiário cabuloso sobre a pandemia mundial parece não afetar a maioria dos idosos fujões. Em outros países, toda essa teimosia poderia ser levada de outra forma, mas aqui no Brasil, onde a quarentena, o tédio e a piada de mau gosto que é o governo, estão levando a criatividade do povo a níveis jamais vistos, coisa de profissional.  O resultado disso é uma super produção de memes sobre a situação e dicas para conter os velhinhos fugitivos que gostam de viver perigosamente.

O “caça-véio” seria uma espécie de “carrocinha” que circularia nas ruas durante a pandemia, recolhendo todas as pessoas com mais de 60 anos
Solução para os idosos teimosos!
Rebeldia na terceira idade!
Depois da pandemia, as vagas receberão outro nome!

Nova rotina

“Meus avós se divertindo cantando no karaokê”. Recebi esse vídeo enquanto escrevia essa matéria. Eles que estão na faixa dos 80 anos e bem independentes, meu avô que passava o dia jogando com os amigos, agora passa o dia na companhia da minha avó. Conversamos por mensagens e chamadas de vídeos, assim como faço com minha outra avó, que descobriu um talento nessa pandemia: fazer Fridas de pano.

Contribua com O Partisano - Catarse dO Partisano

Tem idosos escrevendo nessa quarentena, zerando séries e assistindo muitos filmes, testando novas receitas e aprendendo a usar melhor o seu smarthphone. A situação gera um stress emocional, mas o isolamento é essencial, por isso é importante que se encontrem em alguma atividade para amenizar o impacto dessa pandemia em suas vidas.

Um comentário

Deixe uma resposta