Farol de Quebrada

História em quadrinhos retrata o cotidiano da Cidade Líder, na periferia de São Paulo, frente à crise provocada pela pandemia

Imagem: o autor em sua laje
por João Pinheiro com introdução de William Dunne

Farol de Quebrada apresenta fragmentos do cotidiano da periferia de São Paulo em tempos de pandemia. A narrativa em primeira pessoa mostra o autor em sua quebrada, na Cidade Líder, retratando o que os moradores em volta fazem no meio dessa crise. A visão panorâmica, de cima da laje, registrada no caderno de desenho, como um diário, traz toques de surrealismo em meio aos traços realistas, um recurso especialmente oportuno para descrever o absurdo da situação com mais fidelidade.

Contribua com O Partisano - Catarse dO Partisano

A história integra o Programa Convida, do Instituto Moreira Sales (IMS), que procura incentivar a criação artística diante das dificuldades colocadas pelo isolamento social. O programa procura contemplar uma ampla variedade de realidades sociais do país, perpassando classes sociais, gêneros e regiões. O tema de Farol da Quebrada foi tratado por João Pinheiro antes em texto, publicado aqui n’O Partisano.

Contribua com O Partisano - Catarse dO Partisano

João Pinheiro, artista visual e autor de histórias em quadrinhos, é editor da revista Cavalo de Teta e coautor de CAROLINA (Veneta, 2016), indicado ao prêmio Jabuti e lançado também na França. Publicou os álbuns BURROUGHS (Veneta, 2015), lançado também na Turquia e na França, e Kerouac (Devir, 2011).

Leia também:  Reportagem em quadrinhos: O país não pode parar

Deixe uma resposta