Quais os compromissos oficiais de Jair Bolsonaro?

Agenda oficial do presidente conta com muita reunião de 10 minutos, almoço de duas horas e distribuição de medalhinhas

por Bibi Tavares

Você sabe como vai a agenda do atarefado presidente Jair Bolsonaro? Acredite se quiser, mas entre planejar o genocídio da população via colapso sanitário e fazer arminha com a mão, ele encontra tempo para compromissos oficiais. Não acredita? Pois eu vou te provar. Analisando a agenda do presidente nessa última sexta-feira (16), encontramos uma longa reunião de 10 minutos com o vice-líder do governo na Câmara dos Deputados. Algo mais ou menos assim:

Contribua com O Partisano - Catarse dO Partisano

– Sanderson, no tocante à Câmara, como vão as coisas?
– Então Seu Presidente, tão falando que tem que comprar vacina.
– Vacina está fora de cuestão! Só libero cloroquina! Agora preciso ir inaugurar alguma caixa d’água.

Pois é. O tipo de reunião que poderia ser um e-mail, quem sabe um Zoom, já que estamos na pandemia, certo? Errado, esses recursos servem somente às pessoas com QI positivo, o que não é o caso do Seu Jair. Voltando à última sexta, o expediente acabou às 16h, pois sexta-feira é dia de maldade.

Leia também:  "Não era minha", defende-se Magno Malta

Já na quinta-feira (15), a agenda oficial do presidente apontava mais de duas horas de viagem e uma hora de trabalho. Algo mais ou menos parecido com o trabalhador comum, que leva duas horas de de ônibus/metrô/trem pra trabalhar 1 hora com ódio e as outras 9 horas com raiva. Jair, gente como a gente.

Imagem

De 10 em 10 minutinhos

Na quarta-feira (14), foi dia de liberar mais 10 minutos para uma reunião com o deputado Marco Feliciano. Nesse caso não dá nem pra criticar, acho que nem o Pedro Bial, acostumado a lidar com umas figuras sebosas, aguentaria mais de 10 segundos com o trombadinha da fé. Esse diálogo deve ter sido mais ou menos assim:

– Presidente, o senhor deu a presidência da CAPES pra uma esquerdista, ela disse que regimes totalitários são guiados por pseudo-messias!
– Calma Feliciano, eu já falei pra ela que Messias tá na minha certidão de nascimento, não tem essa de pseudo.
– Então tá bom, Senhor Presidente, amém.

Leia também:  A grande conquista da 3ª via: empatar com Lula em um protesto anti-Lula

Imagem

Distribuição de medalhinhas e inauguração caixas d’água

Continuando a análise da agenda do presidente, nota-se que a maioria das reuniões dura entre 10 e 20 minutos. Além disso, praticamente todos os dias ele se encontra com o subchefe adjunto executivo da subchefia, ou seja, o estagiário, por mais tempo do que com muitos ministros. Também tem muita presença em solenidades do exército, vulgo distribuição de medalhinhas, e inaugurações.

Dentre as principais atividades de Jair Bolsonaro, se encontra o famoso almoço de duas horas e meia. Pode parecer um ato folgado da parte dele, que não aparenta escovar os dentes e passar um fio dental, mas não tem como dar o mínimo de 35 mastigadas saudáveis em cada pedaço de filé mignon com aspargos e leite condensado em menos tempo.

A maioria dos dias são bem puxados para o presidente, pegando no batente lá pelas 10h da madrugada e indo, em média, até umas 17h. Umas quatro horas de trabalho por dia, mais duas de almoço, é pesadão. Imagine uma CLT desse naipe? Lembrando que a maioria desses compromissos foram presenciais. Mesmo na pandemia? Sim.

Leia também:  Julgamento no TSE, mamadeiras de piroca e uma pizza no delivery

Resumo de um dia perfeito

Bom mesmo foi esse dia aqui. Emendou o café da manhã com o almoço e janta.

Contribua com O Partisano - Catarse dO Partisano

Um resumo fidedigno do que são os dias de Bolsonaro. Isso quando ele não está com seu imbrochável membro preso no zíper da calça. Tudo isso sem deixar de levar o país pra frente – do abismo.

Deixe uma resposta