Paulo Sérgio, acho que é simples

Enviamos uma carta para o chefe das Forças Armadas usando comunicação não violenta para que ele se convença a punir o general da ativa Pazuello

Imagem: O Partisano
por Carlos Marques

Cada percalço da vida é uma oportunidade de aprendizado. Foi com isso em mente que o ator Ícaro Silva resolveu dar um exemplo de comunicação não violenta ao redigir uma nota para sua colega Juliana Paes, convidando-a a refletir melhor sobre posição política que firmara num vídeo na última semana. Ela disse que não apoia nem “os ideais arrogantes da extrema direita nem os delírios comunistas da extrema esquerda”, e desde então vem sendo duramente criticada.

Contribua com O Partisano - Catarse dO Partisano

Neste ambiente agreste, a mensagem de Ícaro aparenta criar uma empatia especial. Ela faz tanto sucesso que já se tornou um modelo para milhares de internautas, ansiosos por virar a cabeça dos atores políticos do país. A nota abaixo foi destinada ao Comandante do Exército, que decidiu não punir o general da ativa Eduardo Pazuello por ter participado de um ato político-motociclístico pró-Covid com Bolsonaro no Rio de Janeiro.

Leia também:  Bolsonaro lança reality show de sobrevivência, Brasil inteiro participa

Paulo Sérgio, acho que é simples.

Você é graduado, inoxidável, batráquio, sifonado, portentosíssimo. Sua farda é muito bonita. É maravilhosa. Você é um guerreiro patriota muito disciplinado. Mas sabe o que é, General? Posso te chamar de Gegê? Sabe o que é, Gegê? Seu pensamento não ultrapassa o cercado de privilégios que o Exército te permitiu alcançar. Seu posicionamento é o de quem não sabe o que é serviço público, impessoalidade, hierarquia, disciplina. Dá pra entender o que você está fazendo ali do cercadinho em frente ao Palácio da Alvorada. Mas está faltando alteridade em sua visão de força armada, amado.

Eu sei que você consegue imaginar. Feche os olhos e diga pra si: “se você não punir o militar indisciplinado nem com uma advertência, os seus subordinados e os dele vão começar a fazer o que lhes dá na telha”. Aí deixa de ser exército. Imagina se você mandar um soldado pintar o meio-fio de branco e ele pintar de rosa? Ou se mandar ir pra guerra e ele for pra uma motocada em Copacabana. Visualizou?

Contribua com O Partisano - Catarse dO Partisano

Eu lhe sugeriria, porque adoro você, o exercício de mergulhar em realidades que você nem sonha que existem. E não tô falando de dar porrada em manifestante na rua não, que isso vocês fazem bem. Tô falando de milhares de pessoas, que estão morrendo AGORA no hospital por Covid porque Pazuzu foi cumprir a “missão de não fazer porra nenhuma” que o presidente lhe deu. Então, Gegê, a gente sabe que você está em sua bolha verde oliva, com leitos reservados no Hospital das Forças Armadas, que todo o mundo é patriota e só comete indisciplina para apoiar o bunda-suja do presidente. Mas sua farda e seu tempo de caserna o levaram a um posto de muito poder. E isso é responsabilidade. Sim, Gegê, é foda. Mas você também é responsável pelo Brasil. E o Brasil não é uma bolha. O Brasil é uma poça de merda. E a merda são vocês.

Deixe uma resposta