Exportação de André do Rap cresce 100% com Bolsonaro

De zero Andrés do Rap mandados para fora durante o ano passado, um teria sido mandado para a Bolívia ou Paraguai, um alento diante dos números das exportações

Imagem: O Partisano
Dênis de Bosch

A exportação do Brasil para os EUA caiu para o menor nível em 11 anos, São Paulo exportou 12,1% menos até setembro deste ano e o minério de ferro teve queda de 11,3% nas exportações até a segunda semana de outubro. Os EUA, ironicamente, são um país idolatrado pelo presidente Jair Bolsonaro, e o minério de ferro foi uma das commodities que impulsionaram a bonança do país durante os saudosos governos Lula. Mas nem tudo são espinhos para o marido de Michele: durante seu governo, a exportação de Andrés do Rap cresceu 100%.

Contribua com O Partisano - Catarse dO Partisano

Uma commodity brasileira, André do Rap pode ter sido exportado para a Bolívia ou para o Paraguai. Seu paradeiro é incerto, desde que o ministro do STF Marco Aurélio Mello teve que soltá-lo por fazer mais de 90 dias que a manutenção de sua prisão preventiva não era justificada, e portanto as balanças comerciais com os vizinhos terão que esperar a confirmação desse dado para serem atualizadas.

Pauta de exportações

Outra comodity associada ao mundo de André do Rap, que seria membro da cúpula do PCC e um grande chefe do tráfico internacional, é a cocaína. Ano passado, um sargento que viajava na comitiva de Bolsonaro com destino ao Japão tentou exportar 39Kg de cocaína para a Espanha, durante uma escala no aeroporto de Sevilha. O país ibérico, porém, não aceitou a entrada da mercadoria, e o comerciante que tentou entregá-la está preso até agora em Sevilha, cumprindo pena.

Os bolsonaristas fingem que não se lembram dessa venda malsucedida. Contudo, pretendem usar a seu favor um dos poucos dados econômicos positivos do governo que representa a exportação de André do Rap para fora.

Neste momento, está em curso uma ofensiva da direita no STF para retomar as prisões inconstitucionais após condenações em segundo instância. Luiz Fux, ministro do STF de quem Sérgio Moro dizia “in Fux we trust”, está usando o caso para tentar virar um ditador da corte, depois de passar por cima da decisão de Marco Aurélio.

Contribua com O Partisano - Catarse dO Partisano

Fux tornou-se recentemente presidente da corte, e o lavajatismo usa qualquer pretexto para tentar se reerguer depois da desmoralização provocada pelas revelações da “Vaza Jato”. Nesse caso específico os bolsonaristas e os apoiadores de Moro continuam juntinhos, todos contra o direito e as garantias da lei. Usam André do Rap como garoto propaganda, mas o alvo é o ex-presidente Lula, virtual vencedor de uma eventual eleição e 2022.

Deixe uma resposta